Bem-vindo ao site do Norte de Mato Grosso, Peixoto de Azevedo/MT, domingo 21 de janeiro 2018
Midia Kit
Política - MT - Doação - JBS

6 deputados federais de Mato Grosso receberam dinheiro da JBS-Friboi

Doações de campanha feitas aos deputados eleitos somam R$ 930 mil

O dinheiro da JBS abasteceu as contas de campanha de 6 dos 8 deputados federais de Mato Grosso, eleitos em 2014. A grande maioria destes parlamentares recebeu os recursos por meio das direções de seus partidos. No total, os parlamentares receberam R$ 930 mil, recursos declarados, pelas empresas, siglas e candidatos, à Justiça Eleitoral, o que é legal. Maior exportadora de carne do Brasil, a JBS doou, naquele ano, R$ 366,8 milhões a aproximadamente 1,9 mil candidatos espalhados pelo Brasil.

O maior recebedor de recursos da JBS foi também o único que recebeu a doação de forma direta, o deputado Carlos Bezerra (PMDB). Conforme a prestação de contas do parlamentar, disponível no site da Justiça Eleitoral, a empresa repassou para a campanha do peemedebista R$ 500 mil.

Em relação aos demais parlamentares, as doações ocorreram de forma indireta, ou seja, por meio de repasses dos diretórios estadual e nacional dos partidos. São os casos de Ságuas Moraes (PT), que recebeu R$ 150 mil, mesma quantia encaminhada para a campanha de Fábio Garcia (PSB). Os deputados Adilton Sachetti (PSB) e Valtenir Pereira (PMDB), à época no PROS, tiveram um aporte de R$ 50 mil cada. Por fim, outra campanha abastecida com tais recursos foi a de Victório Galli (PSC). Conforme a Justiça Eleitoral houve uma transferência de R$ 30 mil.

Dos eleitos, apenas os deputados Ezequiel Fonseca (PP) e Nilson Leitão (PSDB) não foram beneficiados com recursos da empresa do ramo de carne. Do mesmo modo, o governador Pedro Taques (PSDB) e o senador Welington Fagundes (PR), eleitos no mesmo ano, também não receberam recursos da JBS.

Todas estas doações foram declaradas à Justiça Eleitoral, tanto pela empresa, quanto pelas siglas e pelos parlamentares e, de acordo com a legislação daquela época - hoje há a proibição da transferência de recursos de empresas - estão perfeitamente legais. Os políticos, inclusive, tiveram suas contas aprovadas.

O deputado Fábio Garcia explica que no caso das doações indiretas, o candidato só sabe a origem dos recursos - no caso a JBS - no momento da prestação de contas. “Nós recebemos a doação do partido e nem sabemos qual foi a empresa ou pessoa que doou para a sigla. Posso assegurar que nunca solicitei qualquer tipo de doação para a JBS e que tudo o que recebi foi declarado pela Justiça, que aprovou minhas contas”.

Do mesmo modo, Sachetti explicou, em entrevista à Rádio Capital FM, que de fato há o recebimento dos R$ 50 mil. “Foi tudo oficial, como manda a Lei, mas nessa hora eles não separam ninguém e incluem todos como se fossem bandidos para salvar os criminosos”, ressalta, citando o acordo de colaboração firmado pelos donos da JBS, os irmãos Joesley e Wesley Batista. A reportagem tentou contato com os demais parlamentares que receberam os recursos, mas nenhum deles atendeu as ligações.

Atenção! O site "Realidade MT" não se responsabiliza por calúnias, injúrias, linguajar inapropriado, preconceituoso ou quaisquer afirmações de natureza ofensiva que venham a ser veiculadas nesse espaço, sendo que essa responsabilidade recai inteiramente sobre o usuário que se utilizar deste espaço democrático e livre de forma inadequada.

VÍDEOS

José Medeiros discursa sobre a saída de Tiririca da política

OPINIÃO

Sigilo entre advogado e cliente é lei e deve ser respeitado
Este é o nosso primeiro artigo deste ano. Portanto, quero desejar-lhes um feliz 2018, de muita paz e...
Como você avalia os prós e contras de suas decisões?
Jordano foi promovido e saiu da tranquilidade do interior, onde morava, e hoje ocupa um super aparta...
ver mais

ENTRENENIMENTO

Netflix
Netflix pode distribuir internacionalmente ficção científica estrelada por Natalie Portman

TECNOLOGIA

Internet
Centenas de perfis falsos teriam tentado influenciar eleições no Brasil

ESTADO

Renegociação - de - Dívida
Governo se reúne com Banco Mundial e tratativas avançam
Benedito - Figueiredo
Secid vai rescindir contrato com empresa responsável por obra em ponte