Bem-vindo ao site do Norte de Mato Grosso, quinta 25 de maio 2017
Midia Kit, Clique aqui para receber as principais notícias
Política - Vantagens - Indevidas

Delatores da JBS relatam pagamentos de US$ 80 mi em propina para Lula e Dilma.

As informações constam em despacho do ministro do STF, Edson Fachin

Delatores do grupo JBS, o empresário Joesley Mendonça Batista e o diretor de Relações Institucionais, Ricardo Saud, relataram pagamentos de US$ 80 milhões em propina "em favor" dos ex-presidentes petistas Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, "mediante depósitos em contas distintas no exterior".

As informações constam em despacho do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato na Corte.Segundo o relato, Lula teria recebido "vantagens indevidas" na ordem de US$ 50 milhões. Já Dilma,seria a destinatária de US$ 30 milhões.

O ex-ministro Guido Mantega, que atuou nos governos Lula e Dilma, atuaria como intermediário dos pagamentos. Os negócios seriam realizados no âmbito do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento), da Petros (Fundação Petrobras de Seguridade Social) e da Funcef (Fundação dos Economiários Federais), "com objetivo de beneficiar o grupo empresarial JBS".

Fachin ainda relata que, segundo os colaboradores, o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto "solicitou a Joesley Batista a disponibilização de uma conta bancária no exterior para o depósito de valores, com a abertura de uma planilha de conta corrente para que os pagamentos fossem realizados mediante (a) notas fiscais com conteúdo e datas ideologicamente falsos; (b) em dinheiro; (c) depósitos em contas no exterior; (d) doações eleitorais dissimuladas".

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, também relatou, de acordo com o despacho de Fachin, que o dono do grupo JBS confessou ter repassado R$ 30 milhões ao ex-ministro Antônio Palocci, preso no âmbito da Lava Jato, a pretexto da campanha de Dilma à Presidência em 2010.

Outro lado
Uol entrou em contato com as assessorias de Lula e Dilma, mas, até as 13h10, não haviam se manifestado sobre as acusações.

Em entrevista à Folha neste mês, o ex-ministro Guigo Mantega negou envolvimento com irregularidades e afirmou que acusações como as de executivos da Odebrecht eram 'ficções' para conseguir fechar delação premiada, histórias "inverossíveis" e sem provas."

Atenção! O site "Realidade MT" não se responsabiliza por calúnias, injúrias, linguajar inapropriado, preconceituoso ou quaisquer afirmações de natureza ofensiva que venham a ser veiculadas nesse espaço, sendo que essa responsabilidade recai inteiramente sobre o usuário que se utilizar deste espaço democrático e livre de forma inadequada.

VÍDEOS

Diretor de Hospital Regional de Sorriso/MT chora ao relatar caos no hospital.

OPINIÃO

Não somos robôs
Na noite de 30 de janeiro de 1989, conversava com uma plateia de moços sobre o valor da vida e das...
DURA LEX SED LEX
Dura lex sed lex é uma expressão em latim que traduzida para a língua portuguesa significa "a lei é ...
ver mais

ENTRENENIMENTO

Cannes - 2017
Clint Eastwood critica "era do politicamente correto"

TECNOLOGIA

É - do - Brasil
Estudantes brasileiros são finalistas da maior feira de ciências do mundo

ESTADO

Economia
Mato Grosso será pioneiro em produção de etanol de milho
Operação - Cabrera
PF prende professor de educação física de Jaciara por pornografia infantil