Bem-vindo ao site do Norte de Mato Grosso, Peixoto de Azevedo/MT, sábado 21 de outubro 2017
Midia Kit
Política - MT - Dança - das - Cadeiras

Estado oficializa mudanças no secretariado; denunciado pela PF é adjunto na Sema

Max Russi, na Setas, Rogério Gallo, na PGE, e Enas Figueiredo, na Justiça e Direitos Humanos, foram oficializados nos cargos

O Diário Oficial da última terça-feira (03) publicou as alterações que já haviam sido anunciadas nas secretarias de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), Trabalho e Assistência Social (Setas), Procuradoria Geral do Estado e Meio Ambiente (Sema).

Márcio Frederico de Oliveira Dorileo, que esteve à frente da Sejudh desde o início da gestão Pedro Taques (PSDB), em 2015, foi exonerado do cargo. Em seu lugar, o secretário-adjunto da pasta, Enéas Côrrea Figueiredo Junior, assume interinamente até a reforma administrativa do poder executivo ser aprovada na Assembleia Legislativa. Na reforma, o governador Pedro Taques (PSDB) pretende transformar a Sejudh numa Secretaria de Administração Penitenciária.

Outra mudança publicada na edição de 3 de janeiro do Diário Oficial foi a saída de Valdiney Antônio de Arruda, que estava à frente da Setas. Ele também fazia parte do “elenco original” de Taques, e ocupava o cargo desde janeiro de 2015. Para seu lugar, o governador nomeou o deputado estadual Max Russi (PSB).

Taques confirmou também um nome conhecido, especialmente para os cuiabanos, na Procuradoria Geral do Estado (PGE), estrutura institucional que exerce a advocacia pública do Estado de Mato Grosso e defende os interesses das entidades e representações que dela fazem parte. Rogério Gallo, ex-procurador do município de Cuiabá e homem de confiança do ex-prefeito Mauro Mendes, irá chefiar o órgão. Ele substitui Patryck Ayala, que pediu exoneração do cargo em dezembro.

O poder executivo também promoveu Alex Sandro Antônio Marega, que deixa de ser assessor especial II e passa a ocupar o cargo de secretário-adjunto de gestão ambiental, na Sema. A mudança, no entanto, é mais polêmica nesse caso: Marega foi um dos denunciados em 2010 na “Operação Jurupari”.

Deflagrada pela Polícia Federal, a investigação apurou um esquema que envolvia madeireiros, engenheiros florestais e servidores públicos da pasta na produção e aprovação de licenciamentos ambientais irregulares.

A juíza da 7ª Vara Criminal, Selma Arruda, no entanto, determinou a prescrição da ação em maio de 2015. Marega entra no lugar de Carlos Henrique Gabriel Kato, nome que já foi cotado em 2016 para assumir a gestão da Sema.

Desde as eleições de 2016, Taques tem promovido alterações no secretariado. Entre os nomes que assumiram recentemente, estão do deputado Wilson Santos (PSDB) na Secretaria de Cidades e do jornalista Kleber Lima, no Gabinete de Comunicação Social. O delegado Fausto Freitas, que respondia pelo Intermar, ocupa agora o Gabinete de Transparência e Combate a Corrupção.

Atenção! O site "Realidade MT" não se responsabiliza por calúnias, injúrias, linguajar inapropriado, preconceituoso ou quaisquer afirmações de natureza ofensiva que venham a ser veiculadas nesse espaço, sendo que essa responsabilidade recai inteiramente sobre o usuário que se utilizar deste espaço democrático e livre de forma inadequada.

VÍDEOS

Goleiro de time da Indonésia morre após se chocar com brasileiro

OPINIÃO

As crianças e a Mãe de Jesus
Em 12 de outubro, no Brasil, homenageamos Maria Santíssima, Mãe Universal da Humanidade, e as crianç...
CUT e MST são sindicatos ou facções
Os empregados brasileiro mal celebraram a derrubada da lei do governo federal aonde eram obrigados a...
ver mais

ENTRENENIMENTO

The - Traitor
Novo filme de Marco Bellocchio será rodado no Brasil

TECNOLOGIA

PornHub
Hackers distribuem malware no PornHub

ESTADO

Concurso
Polícia apura supostas falhas em concurso para delegado de MT e manda envelopes com provas para perícia
Pró - Estradas
Sinfra divulga datas das audiências em Alta Floresta, Alto Araguaia e Tangará da Serra