Bem-vindo ao site do Norte de Mato Grosso, Peixoto de Azevedo/MT, segunda 18 de dezembro 2017
Midia Kit
Política - MT - Dança - das - Cadeiras

Estado oficializa mudanças no secretariado; denunciado pela PF é adjunto na Sema

Max Russi, na Setas, Rogério Gallo, na PGE, e Enas Figueiredo, na Justiça e Direitos Humanos, foram oficializados nos cargos

O Diário Oficial da última terça-feira (03) publicou as alterações que já haviam sido anunciadas nas secretarias de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), Trabalho e Assistência Social (Setas), Procuradoria Geral do Estado e Meio Ambiente (Sema).

Márcio Frederico de Oliveira Dorileo, que esteve à frente da Sejudh desde o início da gestão Pedro Taques (PSDB), em 2015, foi exonerado do cargo. Em seu lugar, o secretário-adjunto da pasta, Enéas Côrrea Figueiredo Junior, assume interinamente até a reforma administrativa do poder executivo ser aprovada na Assembleia Legislativa. Na reforma, o governador Pedro Taques (PSDB) pretende transformar a Sejudh numa Secretaria de Administração Penitenciária.

Outra mudança publicada na edição de 3 de janeiro do Diário Oficial foi a saída de Valdiney Antônio de Arruda, que estava à frente da Setas. Ele também fazia parte do “elenco original” de Taques, e ocupava o cargo desde janeiro de 2015. Para seu lugar, o governador nomeou o deputado estadual Max Russi (PSB).

Taques confirmou também um nome conhecido, especialmente para os cuiabanos, na Procuradoria Geral do Estado (PGE), estrutura institucional que exerce a advocacia pública do Estado de Mato Grosso e defende os interesses das entidades e representações que dela fazem parte. Rogério Gallo, ex-procurador do município de Cuiabá e homem de confiança do ex-prefeito Mauro Mendes, irá chefiar o órgão. Ele substitui Patryck Ayala, que pediu exoneração do cargo em dezembro.

O poder executivo também promoveu Alex Sandro Antônio Marega, que deixa de ser assessor especial II e passa a ocupar o cargo de secretário-adjunto de gestão ambiental, na Sema. A mudança, no entanto, é mais polêmica nesse caso: Marega foi um dos denunciados em 2010 na “Operação Jurupari”.

Deflagrada pela Polícia Federal, a investigação apurou um esquema que envolvia madeireiros, engenheiros florestais e servidores públicos da pasta na produção e aprovação de licenciamentos ambientais irregulares.

A juíza da 7ª Vara Criminal, Selma Arruda, no entanto, determinou a prescrição da ação em maio de 2015. Marega entra no lugar de Carlos Henrique Gabriel Kato, nome que já foi cotado em 2016 para assumir a gestão da Sema.

Desde as eleições de 2016, Taques tem promovido alterações no secretariado. Entre os nomes que assumiram recentemente, estão do deputado Wilson Santos (PSDB) na Secretaria de Cidades e do jornalista Kleber Lima, no Gabinete de Comunicação Social. O delegado Fausto Freitas, que respondia pelo Intermar, ocupa agora o Gabinete de Transparência e Combate a Corrupção.

Atenção! O site "Realidade MT" não se responsabiliza por calúnias, injúrias, linguajar inapropriado, preconceituoso ou quaisquer afirmações de natureza ofensiva que venham a ser veiculadas nesse espaço, sendo que essa responsabilidade recai inteiramente sobre o usuário que se utilizar deste espaço democrático e livre de forma inadequada.

VÍDEOS

José Medeiros discursa sobre a saída de Tiririca da política

OPINIÃO

Crescer exige mudanças
Muitas vezes ouço as pessoas dizerem, eu odeio mudanças. Na verdade as pessoas odeiam que as cois...
Todo grupo é mais forte que o indivíduo.
Não é raro ouvir questionamentos como: Qual a importância de ser representado por um sindicato? ou Q...
ver mais

ENTRENENIMENTO

Netflix
Netflix pode distribuir internacionalmente ficção científica estrelada por Natalie Portman

TECNOLOGIA

Internet
Centenas de perfis falsos teriam tentado influenciar eleições no Brasil

ESTADO

Renegociação - de - Dívida
Governo se reúne com Banco Mundial e tratativas avançam
Benedito - Figueiredo
Secid vai rescindir contrato com empresa responsável por obra em ponte