Bem-vindo ao site do Norte de Mato Grosso, terça 27 de junho 2017
Midia Kit, Clique aqui para receber as principais notícias
Saúde e Bem Estar - Desempenho - Escolar

Falta de sono na infância impacta no aprendizado e aumenta risco de transtornos mentais

Contra a insônia infantil, pais devem criar ritual para a criança antes de dormir. Foto: Shutterstock

Segundo Dra. Karina Weinmann, neuropediatra e confundadora da NeuroKinder, clínica dedicada ao desenvolvimento infantil, a privação do sono nas crianças impacta diretamente no neurodesenvolvimento, gera mudanças de comportamento e afeta o desempenho escolar

A neuropediatra explica que o organismo da criança se desenvolve até por volta dos 20 anos de idade. Nesse período a necessidade de sono é maior que a de um adulto. “Durante a infância e a adolescência, o sono ajuda na formação dos tecidos e dos órgãos, entre eles o cérebro. Com isso, há aumento importante da chance de desenvolver doença mental na fase adulta, há maior episódios de sonambulismo, cansaço, depressão e insegurança emocional", explica a médica.

A neuropediatra explica ainda a falta de sono eleva os níveis de cortisol, hormônio relacionado ao estresse, podendo gerar quadros de irritação, agitação e ansiedade. O cortisol aumentando também está relacionado a uma maior probabilidade de desenvolver obesidade e diabetes.

“Do ponto de vista físico, devemos lembrar que crianças que não dormem apresentam redução na produção do GH, hormônio do crescimento, impactando na estatura e crescimento. Além disso, há queda da imunidade, com risco maior de contrair gripes, resfriados e outras doenças virais”, diz a médica.

“Quando avaliamos os efeitos da falta de sono no cérebro, devemos levar em conta o impacto na memória e na atenção, que são fundamentais para o aprendizado escolar. Um sono ruim também afeta o comportamento na escola e em casa, deixando as crianças mais irritadas, agressivas e agitadas”, afirma Dra. Karina

“Podemos notar que a privação do sono das crianças tem relação direta com o estilo de vida atual. A resistência em dormir é reflexo do comportamento dos adultos que gera um ambiente inapropriado para a criança, afetando o sono”, explica Dra. Karina.

“Sabemos que hoje a maioria dos pais trabalha fora e chega em casa na hora em que as crianças deveriam estar dormindo ou pelo menos deveriam começar a rotina do sono. Naturalmente, os pais querem aproveitar os filhos, conversar, brincar, comer e acabam impondo um ritmo impróprio para a criança”, diz a neuropediatra.

Como melhorar a qualidade do sono das crianças
Você já ouviu falar em higiene do sono? São medidas que ajudam a melhorar a qualidade do sono. E isso vale também para as crianças. Veja abaixo as dicas dadas pela neuropediatra:

Atenção! O site "Realidade MT" não se responsabiliza por calúnias, injúrias, linguajar inapropriado, preconceituoso ou quaisquer afirmações de natureza ofensiva que venham a ser veiculadas nesse espaço, sendo que essa responsabilidade recai inteiramente sobre o usuário que se utilizar deste espaço democrático e livre de forma inadequada.

VÍDEOS

"Centro-Oeste carrega o Brasil nas costas, sem contrapartidas"

OPINIÃO

Vencendo as diferenças
O dia 25 de junho marca a adoção pela ONU (Organização das Nações Unidas) da Declaração e Programa d...
Quem tem ideal não envelhece
Achei, nos meus alfarrábios, texto que publiquei, em 3 de maio de 1987, na Folha de S. Paulo, dedica...
ver mais

ENTRENENIMENTO

Cinema
Diretor de A Múmia afirma: "Fiz o filme para o público, não para os críticos"

TECNOLOGIA

Google - for - Jobs
O sistema de buscas da Google pode ajudar a encontrar seu próximo emprego

ESTADO

Saúde
Governador critica deputados que são contra repasse de R$ 82 milhões para Saúde
Simcar
Produtores de Mato Grosso têm 90 dias para fazer adequações no novo sistema de CAR