Bem-vindo ao site do Norte de Mato Grosso, Peixoto de Azevedo/MT, sexta 15 de dezembro 2017
Midia Kit
Estado - VLT

Folha de S. Paulo aponta que VLT cuiabano irá dobrar de preço

Até agora o governo já pagou cerca de R$ 1 bilhão pela obra. O acordo que incluiu mais R$ 922 milhões ainda deve ser homologado pela Justiça Federal.

VLT deveria ter sido inaugurado há três anos.

Reportagem publicada pelo portal Folha de S. Paulo, neste sábado (15), aponta que a obra do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) de Cuiabá e Várzea Grande vai custar o dobro para ser concluída, conforme prevê projeto do Governo do Estado.

As obras estão paralisadas desde dezembro de 2015 e no último dia 31 de março o governo fechou acordo com o Consórcio VLT para a retomada, que custará R$ 922 milhões a mais do que era previsto no início.

No total, o VLT custará cerca de R$ 2 bilhões. Até agora o governo já pagou cerca de R$ 1 bilhão pela obra, que deveria ter sido inaugurada há três anos, para compor como modal de transporte para a Copa do Mundo.

O acordo entre consórcio e governo ainda precisa ser homologado pela Justiça Federal e está sob análise dos Ministérios Públicos Estadual e Federal.

Confira a reportagem completa aqui

VLT

A previsão é de que sendo retomadas as obras, a conclusão do modal ocorra em dois anos.

Se retomadas em maio, o cronograma das obras prevê a entrega da primeira etapa, em março de 2018, no trecho entre o aeroporto de Várzea Grande até a estação do Porto, em Cuiabá. Até dezembro de 2018 deverá entrar em funcionamento todo o trecho da linha 1, num total de 15 quilômetros, entre o aeroporto de Várzea Grande e o Terminal do Comando Geral, em Cuiabá.

Já a linha 2, que compreende o trecho de 7,2 km entre a Avenida Tenente Coronel Duarte (Prainha) e o Parque Ohara, no Coxipó, será entregue até maio de 2019.

Para financiar o valor necessário para a conclusão das obras, o Governo de Mato Grosso já obteve sinalização da União de empréstimo de R$ 600 milhões junto à Caixa Econômica Federal, faltando apenas aval da Secretaria do Tesouro Nacional (STN). Dos R$ 322 milhões restantes, o Governo já tem R$ 193 milhões em caixa do empréstimo anterior.

Com a renegociação o governo diz que o modal terá o menor preço por quilômetro do Brasil. O VLT de Cuiabá – Várzea Grande custará, ao final, R$ 44,8 milhões por quilômetro, enquanto o da cidade do Rio de Janeiro, por exemplo, custou R$ 56 milhões.

Atenção! O site "Realidade MT" não se responsabiliza por calúnias, injúrias, linguajar inapropriado, preconceituoso ou quaisquer afirmações de natureza ofensiva que venham a ser veiculadas nesse espaço, sendo que essa responsabilidade recai inteiramente sobre o usuário que se utilizar deste espaço democrático e livre de forma inadequada.

VÍDEOS

José Medeiros discursa sobre a saída de Tiririca da política

OPINIÃO

Crescer exige mudanças
Muitas vezes ouço as pessoas dizerem, eu odeio mudanças. Na verdade as pessoas odeiam que as cois...
Todo grupo é mais forte que o indivíduo.
Não é raro ouvir questionamentos como: Qual a importância de ser representado por um sindicato? ou Q...
ver mais

ENTRENENIMENTO

Netflix
Netflix pode distribuir internacionalmente ficção científica estrelada por Natalie Portman

TECNOLOGIA

Internet
Centenas de perfis falsos teriam tentado influenciar eleições no Brasil

ESTADO

Renegociação - de - Dívida
Governo se reúne com Banco Mundial e tratativas avançam
Benedito - Figueiredo
Secid vai rescindir contrato com empresa responsável por obra em ponte