Bem-vindo ao site do Norte de Mato Grosso, Peixoto de Azevedo/MT, sexta 15 de dezembro 2017
Midia Kit
Política - MT - Operação - Zaqueus

Juiz determina sigilo de ação que investiga fraude fiscal de R$ 65 milhões

Solicitação partiu do delator do esquema, o advogado Themystocles de Figueiredo, que lavou dinheiro para servidores da Sefaz

O juiz Marcos Faleiros, da Vara Contra o Crime Organizado, acatou o pedido do advogado Themystocles de Figueiredo, delator do esquema que gerou uma fraude de R$ 65,9 milhões em autos de infração, e determinou o sigilo das investigações. A decisão foi divulgada, nesta terça-feira (10), no Diário de Justiça Eletrônico.

Na semana passada o magistrado marcou a audiência de instrução e julgamento para o dia 23 de outubro, quando serão ouvidas as testemunhas de acusação arroladas pelo Ministério Público Estadual. Todas foram intimadas por carta precatória, por não residirem em Cuiabá.

A ação penal é derivada da Operação Zaqueus, que resultou na prisão dos agentes tributários André Neves Fantoni, Alfredo Menezes Mattos Junior e Farley Coelho Moutinho por receberem propina de R$ 1,8 milhão para reduzir multa de empresas. Somente para a Caramuru Alimentos S/A a autuação de mais de R$ 65,9 milhões foram reduzidos para R$ 315 mil.

Em resposta ao requerimento do delator o magistrado determinou que ele compareça a audiência, garantindo que será ouvido separado dos demais réus e também ficará em local seguro dentro fórum, longe dos demais acusados, por conta do acordo de colaboração premiada.

Themystocles foi o responsável por “lavar dinheiro” para os três servidores da Secretaria de Fazenda (Sefaz). Ele teria emitido nota fiscal do seu escritório com honorários advocatícios fictícios para a empresa Caramuru Alimentos.

Além dos agentes, o MPE também denunciou os advogados Sandra Mara de Almeida e Themystocles Ney de Azevedo de Figueiredo (delator); e os representantes da empresa Walter de Souza Júnior e Alberto Borges de Souza.

Operação Zaqueus

O esquema foi desmantelado pela Delegacia Fazendária (Defaz) após a prisão de André Fantoni, Alfredo Mattos Junior e Farley Moutinho (agentes de tributos estaduais) acusados de conceder decisões administrativas favoráveis a determinadas empresas em troca de propina. Eles teriam recebido cerca de R$ 1,8 milhão pelas facilitações.

Também são réus a advogada Sandra Mara de Almeida e os representantes jurídicos da empresa Caramuru, Walter de Souza Júnior e Alberto Borges de Souza.

As investigações se iniciaram através das informações fornecidas pelo advogado Themystocles Ney de Azevedo de Figueiredo, que levava dinheiro para o grupo. Ele buscou as autoridades para firmar um acordo de delação premiada.

De acordo com a Defaz, foi possível desvendar a formação de suposta associação criminosa instalada na referida secretaria, durante os anos de 2014 e 2016. Os investigados respondem pelos crimes de corrupção passiva, fraude processual, estelionato e lavagem de dinheiro.

As investigações apontam ainda o possível envolvimento de outras empresas com os mesmos agentes de tributos estaduais, que segundo o MPE estão sendo investigadas

Atenção! O site "Realidade MT" não se responsabiliza por calúnias, injúrias, linguajar inapropriado, preconceituoso ou quaisquer afirmações de natureza ofensiva que venham a ser veiculadas nesse espaço, sendo que essa responsabilidade recai inteiramente sobre o usuário que se utilizar deste espaço democrático e livre de forma inadequada.

VÍDEOS

José Medeiros discursa sobre a saída de Tiririca da política

OPINIÃO

Crescer exige mudanças
Muitas vezes ouço as pessoas dizerem, eu odeio mudanças. Na verdade as pessoas odeiam que as cois...
Todo grupo é mais forte que o indivíduo.
Não é raro ouvir questionamentos como: Qual a importância de ser representado por um sindicato? ou Q...
ver mais

ENTRENENIMENTO

Netflix
Netflix pode distribuir internacionalmente ficção científica estrelada por Natalie Portman

TECNOLOGIA

Internet
Centenas de perfis falsos teriam tentado influenciar eleições no Brasil

ESTADO

Renegociação - de - Dívida
Governo se reúne com Banco Mundial e tratativas avançam
Benedito - Figueiredo
Secid vai rescindir contrato com empresa responsável por obra em ponte